Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

A madeira transparente promete ser um amigo do ambiente, substituto  para o vidro ou o plástico usado na fabricação de pára-brisas de carros, embalagens transparentes e dispositivos biomédicos, de acordo com um estudo.

Publicado na revista Science of The Total Environment, o estudo afirma que a madeira transparente reduz os impactos ecológicos no meio ambiente devido às suas propriedades renováveis e biodegradáveis. Diz-se também que é económico, pois é cinco vezes mais eficiente que o vidro, reduzindo significativamente o custo de energia.

O mundo produz atualmente cerca de 400 milhões de toneladas de resíduos plásticos a cada ano.

Com níveis crescentes de plástico de uso único que é usado e depois descartado, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Agora, a madeira transparente está emergindo como um dos materiais substitutos mais promissores do futuro.

“A madeira transparente como material pode substituir os plásticos à base de petróleo prejudiciais ao meio ambiente, como polipropileno, cloreto de polivinila (PVC), acrílico, polietileno, etc.”, disse Prodyut Dhar, autor do estudo e professor assistente da Escola de Engenharia Bioquímica do Instituto Indiano de Tecnologia.

Originalmente fabricada em 1992 pelo cientista alemão Siegfried Fink e desde então aprimorada por outros investigadores, a madeira transparente é feita removendo o conteúdo de lignina na madeira e substituindo-o por materiais plásticos transparentes. A lignina é um biopolímero natural que suporta o tecido vegetal; ao contrário dos plásticos, pode ser biodegradável e não é tóxico.

“Os plásticos são usados como substitutos do vidro que é (naturalmente) frágil. No entanto, a madeira transparente é uma alternativa ainda melhor do ponto de vista ecológico, conforme observado em nossa análise de ciclo de vida”, disse Dhar.

Segundo os autores, a produção de madeira transparente usando clorito de sódio para remover a lignina da madeira e infiltrá-la com infiltração de epóxi teve impactos ambientais muito menores do que os métodos comumente usados que contam com o uso de polímero de metacrilato.

A análise de fim de vida sugere que a madeira transparente é menos ecológica do que o vidro, mas ainda é melhor do que produzir polietileno, indicando a necessidade de melhorar a tecnologia de produção, disseram os autores.

Anish M. Chathoth, professor assistente da Faculdade de Silvicultura da Universidade Agrícola de Kerala, na Índia, e pesquisador no Instituto de Ciência e Tecnologia da Madeira, Bangalore, disse que a fabricação deste material gerou muito interesse recente devido à suas favoráveis propriedades físicas, mecânicas e ópticas.

“A madeira transparente é desenvolvida principalmente com fatias finas de madeira e tem boa resistência como a madeira comum, mas é mais leve. A possibilidade de conferir propriedades múltiplas e avançadas através da incorporação de materiais especializados torna-a um substrato de base biológica único para aplicativos versáteis”, disse Chathoth ao SciDev.Net.

“Nos últimos tempos, a madeira transparente tem sido usada na construção, armazenamento de energia, eletrónica flexível e aplicações de embalagens”, disse Chathoth, “adicionando que, dadas as crescentes preocupações com o impacto ambiental dos materiais plásticos à base de petróleo, a madeira transparente tem um papel na manutenção da sustentabilidade ambiental.”

Fonte: Phys.org